A triste estória da menina que só quis - Mauany

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Eu vi essas figuras hoje e achei incríveis.





Pode parecer bobo para você aí do outro lado, mas para mim fala muito de tudo o que eu não fiz.
Eu sempre quis ter um hobby, fazer algo com as próprias mãos. Pensar, planejar, executar  e me deleitar.
Como eu também quis tocar escaleta e escrever um livro. Como eu quis fazer um filme de stop-motion e ir de patins pra escola. Ou mesmo falar com aquele menino no ônibus.
E tantas vezes eu quis mudar.
Quis acordar mais cedo para correr.
E ler mil livros por ano.
Assistir menos tv.
Ligar praquela menina que eu não vejo desde o nono ano.
Ou escrever cartas de desculpa pro meu professor de Filosofia.
Eu escrevo as cartas na verdade, muitas, só não as envio.
Eu quis tão fracamente cada coisa, que na coisa concreta de alguém eu vejo tudo o que não fui.

4 comentários:

Inácio Saldanha disse...

Muito bom seu texto. Na realidade, não é nada bobo o que escreveste. Acho que seu pensamento na verdade é uma expressão do pensamento de uma coletividade que, muitas vezes, não tem noção que o tem. Quando fala que gostaria de tocar escaleta alguém pode associar com, por exemplo, o ato de andar de bicicleta ao lado de uma montanha. Parabéns mesmo pelo belo texto. Principalmente pela última frase: Eu quis tão fracamente cada coisa, que na coisa concreta de alguém eu vejo tudo o que não fui".

Lelouch the Kid (?) disse...

nossa, gostei muito!
me identifiquei com praticamente tudo, é como o rapaz comentou aí... o seu texto é uma expressão de um pensamento coletivo que ninguém normalmente consegue descrever... parabéns, ótimo texto!

Morgana Gomes disse...

tu sabe que sou uma péssima comentadora de posts, então nem vou enrolar muito. eu amei esses post, acho que entra pro top 50.

mas então,
se tu enxerga, por mais que não seja fácil, tu deveria tornar real. eu consigo ver o vazio daqui mas não consigo ver o porque de não preenche-lo, pelo menos em parte. todo esforço vai valer a pena.
só peço pra que você comece aprendendo a tocar escaleta. afinal, eu riria um bocado se tu fosse pra escola de patins.

a gente poderia fazer um trato e tornar algo real nessas nossas vidinhas. quando tiver pronta pra começar, me chama.

beijos!

Yana Castro disse...

Nossa, amei tanto :-) Parabéns pra quem escreveu.. Acho que todo mundo já passou ou passa por isso, e você soube descrever tão bem. Virei fã, viu!

Postar um comentário

 
◄ Design by Pocket